Alimentos não saudáveis ou quase nada nutritivos que nos enganam nas prateleiras do mercado

Rosa Verão - Coleção 2018 / 2019

Muitas vezes na hora de buscarmos alimentos saudáveis, acabamos nos levando por propagandas ou embalagens mirabolabolantes. Fazendo com que alimentos não saudáveis ou quase nada nutritivos nos enganem com seus pacotes cheios de promessas.

Mas se você quer ter uma alimentação saudável, manter um corpo mais esbelto ou pratica esportes regularmente é bom começar a ler bem as embalagens para não “levar gato por lebre”.

O maior risco dos alimentos não saudáveis, obviamente, está entre os produtos industrializados. Mas não pense que dentre os in natura não seja possível encontrar frutas mais calóricas ou com grande quantidade de açúcar, grandes quantidade de amido, etc. Que podem “estragar” a sua dieta.

Portanto, se o intuito é se manter esbelta o ano inteiro para não ser pega de surpresa com um dia de clube ou praia… Veja os alimentos que listaremos nesse artigo e, crie o bom hábito de ler muito bem as embalagens.

 

Alimentos não saudáveis ou pouco nutritivos

De acordo com alguns especialistas em nutrição, certos alimentos, supostamente saudáveis, podem comprometer uma boa dieta devido ao seu caráter nocivo ao organismo.

Por conta disso, vale a pena conhecer algumas armadilhas causadas pela aparência ou pela desinformação, que levam muitas pessoas a ingerirem determinados produtos.

A verdade é que a mídia está lotada de alimentos não saudáveis e vulgarmente “milagrosos”, mas não podemos acreditar em tudo que vemos ou ouvimos. Veja nossa lista com 10 exemplos de alimentos não saudáveis ou quase nada nutritivos que você deve evitar ou mesmo, eliminar do seu cardápio.

#1: Atenção aos alimentos integrais

alimentos integraisDefinitivamente os integrais são os queridinhos no rol dos alimentos saudáveis. Não é de hoje que se criou o hábito de dizer que tudo que é integral é saudável. Mas não é bem assim. Segundo os nutricionistas, alimentos integrais são aceitáveis e benéficos apenas quando estão em estado orgânico.

Os especialistas também alertam para a quantidade extrema de agrotóxicos que podem acabar se concentrando em alguns dos alimentos ricos em fibras.

Somando-se a isso, no que concerne a pães, biscoitos e outras massas “integrais”, é preciso ler muito bem o rótulo! Muitas vezes os fabricantes utilizam a farinha branca invés da integral como constituinte principal.

E, não bastasse a farinha branca, há a adição de conservantes e corantes artificiais nesse tipo de alimento para aumentar seu tempo de prateleira. Em outras palavras, você estará levando gato por lebre.

#2: Nem toda salada é recomendada

saladasMuita calma nessa hora, não estamos falando que saladas entram na lista dos alimentos não saudáveis, muito pelo contrário. A inclusão de verduras e legumes na dieta deve ser incentivada sempre. Esses alimentos são fontes de fibras e outros nutrientes, auxiliando no bom funcionamento do nosso corpo.

Aqui os vilões não as verduras e os legumes, mas os acompanhamentos, como molhos prontos, maionese, óleos e sal. As pessoas têm o péssimo hábito de encher suas saladas com esses ingredientes. Isso produz um acúmulo absurdo de calorias, que com certeza, levarão muito tempo para serem “expelidas” do corpo.

Portanto, não abuse dos temperos. Além dos molhos, o sal em excesso também faz bastante muito mal à saúde. Prefira temperos leves como limão, azeite e sal em doses mínimas.

Outro cuidado que deve ser tomado em relação às saladas é a sua respectiva lavagem, que deve ser priorizada e realizada sem pressa afim de se evitar problemas estomacais.

Por fim, se você quer manter a silhueta opte por folhas verdes e verde-escuras, tomate, pepino, etc. Deixe os tubérculos, como a batata um pouco de lado. E lembre-se pouco tempero!

#3: Sucos e Chás

sucos industrializadosSucos e chás são ótimos para saúde, mas apenas quando são naturais. Os famosos sucos “de caixinha” são uma péssima escolha. E eu nem vou comentar sobre os sucos em pó, eles são ainda piores.

A objeção em relação aos sucos artificiais é que eles detêm uma grande quantidade de conservantes, corantes e açúcares. Estes ingredientes responsáveis pelo sabor característico e a durabilidade do produto podem fazer muito mal a saúde.

Recomendados pra você  Como deixar a barriga chapada para arrasar com seu biquíni no Verão

Os conservantes trazem prejuízos às funções intestinais, os corantes (ex. tartrazina) provocam reações alérgicas adversas e, os açúcares obviamente mexerão com seu peso. Como se não bastasse, esses sucos também podem conter altas concentrações de sódio.

Por tudo isso, é claro que os sucos naturais devem ser priorizados em detrimento dos demais. Um outro fator que contribui para isso é a manutenção das vitaminas, que no caso dos artificiais se dissipam no meio dos processos.

Um detalhe interessante a se salientar sobre os sucos é que algumas frutas são bastante calóricas, como a laranja, por exemplo. Escolha frutas da estação e não use açúcar ou adoçante. Combine também seu suco a alimentos termogênicos como gengibre ou canela.

No caso dos chás, a recomendação é evitar os em lata ou de caixinha. Os chás “prontos para beber” são um exemplo clássico de alimentos não saudáveis, podendo ser tão prejudiciais quanto os refrigerantes. Os flavonoides, que atuam como antioxidantes são mantidos, mas o problema é em relação às elevadas doses de açúcar que esses chás prontos possuem.

Chás são bebidas maravilhosas que colaboram com o bom funcionamento do organismo, com propriedades curadoras e emagrecedoras… Crie o hábito de fazê-los com ervas frescas e consumi-los sem adição de açúcar ou adoçante.

#4: Bebidas Isotônicas

isotonicosFamosas por causarem uma hidratação e reposição dos sais minerais praticamente instântanea, as bebidas isotônicas estão no hall dos alimentos não saudáveis.

A verdade é que, em excesso os isotônicos podem desencadear ou agravar quadros de pressão alta e diabetes, além de estimular o ganho de peso.

Mas porque isso acontece? É certo que ao fazermos atividade físicas acabamos perdendo água pelo suor, mas nem sempre perdemos quantidades significativas de sais minerais. Portanto, não é sempre que precisamos repor os sais minerais.

É uma linha bastante tênue, por exemplo: atividades menos intensos por até 1 hora não levam à necessidade dos isotônicos. Já ingerir a bebida após exercícios intensos por meia hora (treino HIIT, maratonas), ou exercícios um pouco mais brandos por mais de 1 hora é perfeitamente seguro.

Outra coisa a ser posta na balança é que os isotônicos contém açúcar, corante e conservantes, afinal são bebidas industrializadas. Prefira a água de coco, que é rica em potássio e sódio, podendo ser considerada um isotônico natural.

Não gosta de água de coco? Coma uma fruta e tome bastante água!

#5: Comida Japonesa e seus condimentos

comida japonesaDizer que comida japonesa é saudável às vezes é redundante. Porém aqui o cuidado é com o excesso de molho de soja, devido a alta concentração de sódio presente neste condimento.

Além disso, muitos dos pratos são acompanhados de arroz e, na cultura japonesa sua preparação leva açúcar, vinagre, sal e aromatizantes. Outro molho típico da culinária é o tarê, um condimento agridoce que leva molho de soja e açúcar em sua composição.

Dê preferência ao sashimi (fatias de peixe consumidas cruas), que possui pequenas taxas calóricas. Mas muita atenção ao seu modo de conservação, o consumo de carnes cruas (não importa a espécie) necessita o dobro de ponderação. Vá a restaurantes de sua confiança! Outra preocupação é se você estiver grávida, as gestantes não devem consumir carnes cruas seja qual for a espécie animal.

#6: Barras de cereais

barras de cereaisConsumidas com o intuito de recuperar parte da energia perdida após a realização de atividades físicas, algumas barras de cereais tendem a ocultar calorias.

O grande problema é que algumas marcas abusam dos açúcares, xarope de milho e gorduras trans na sua constituição. Sem contar às que apresentam cobertura de chocolate ao leite ou chocolate branco.

É importante observar o rótulo antes de escolher sua barrinha, você pode estar comprando um doce invés de um lanche saudável.

#7: Tapioca

tapioca doceA tapioca causa muitas controvérsias. Tem quem diga que, além de emagrecer, este é um alimento extremamente saudável. Mas, vamos com calma. Realmente, em relação às calorias, é preferível comer uma tapioca do que um pão, por exemplo.

A tapioca possui “amidos seguros”, ou seja, carboidratos complexos que não fazem mal à saúde pois vão liberam o açúcar aos poucos na corrente sanguínea. Porém é basicamente isso, este alimento não contém muitos nutrientes, e mesmo os carboidratos complexos serão transformados em açúcar pelo nosso organismo.

Recomendados pra você  Alimentação no inverno: por que sentimos mais fome?

Seja cauteloso também em relação aos recheios, muitos queijos gordurosos, creme de avelã ou leite condensado estão na listinha de alimentos não saudáveis… Portanto, pegue leve ao rechear sua tapioca.

#8: Frutas desidratadas

frutas desidratadasQuanto às frutas desidratas, não é que elas sejam alimentos não saudáveis, o mal é o processo de desidratação e os conservantes e açúcares adicionados.

Para se ter uma ideia, uma porção de 30g de maçã desidrata pode conter 96 calorias, enquanto o alimento in natura apresenta apenas 22 calorias. Assim, quando for possível comer a fruta ao natural, essa é a melhor opção para sua dieta.

#9: Alimentos congelados

alimentos congelados industrializadosMais uma categoria que se encaixa perfeitamente na nossa lista de alimentos não saudáveis. E não importa qual seja o alimento escolhido, mesmo os vegetais são extremamente pouco nutritivos ao serem comprados congelados.

Lembre-se não estamos falando que você não pode congelar o seu feijão ou qualquer outra comida que você prepare em casa. Aqui a crítica se restringe aos alimentos que você já compra congelado e pronto no supermercado.

O principal motivo dos congelados serem considerados alimentos não saudáveis é novamente o uso de conservantes pela indústria em sua preparação. Outro ponto é o excesso de sódio, que também aje como conservante.

Além dos conservantes, o processo que leva o alimento a estar pronto para o consumo imediato envolve aquecimento a altas temperaturas, com posterior resfriamento, enlatamento, mudanças estruturais, etc. Tudo isso vai retirando os nutrientes presentes no alimento em sua forma natural.

Ou seja, você compra um prato de vegetais que basta aquecer para ser consumido, mas em questão de nutrientes não está levando quase nada (ou nada mesmo).

Então nada de preguiça! Se quiser ter uma vida mais prática tire um dia para preparar os alimentos frescos. Aí, esses sim você pode congelar para ir consumindo ao longo da semana.

#10: Adoçantes artificiais

adoçantesPor fim, vamos falar um pouco sobre os adoçantes artificias. Essas substâncias nada mais são do que aditivos químicos usados para adoçar bebidas ou alimentos. Eles foram criados para substituir o açúcar de mesa, fornecendo um sabor doce com a promessa de não engordar.

Mas veja o quão doce é esse sabor (baseado nas três substâncias mais encontradas em adoçantes artificiais):

  • Sacarina: 700 vezes mais doce que o açúcar refinado;
  • Aspartame: 200 vezes mais doce que o açúcar refinado;
  • Ciclamato: 50 vezes mais doce que o açúcar refinado.

Já sabemos que eles são bem mais doces, mas veja porque eles fazem mal à saúde: os adoçantes desregulam o centro da fome no hipotálamo. Consequentemente nosso corpo fica com fome de alimentos ricos em açúcar (carboidratos ruins, doces, etc.).

E o que acontece ao consumirmos alimentos não saudáveis e ricos em açúcar? Ganhamos peso e acumulamos gordura. E é justamente isso que pensamos estar evitando ao dar preferência à adoçantes artficiais, não é mesmo?

Tá, mas o que devo usar então? Quando for consumir chás e sucos naturais, tente não adicionar nada. A maioria das ervas vai muito bem sem açúcar, e as frutas já contêm a frutose como adoçante natural.

Porém, sabemos que algumas coisas (como o café) são difíceis de encarar sem nenhum adoçante. Quando for o caso, dê preferência a adoçantes a base de Stévia ou sucralose.

A Stévia também pode ser encontrada em folhas, sendo muito mais saudável dessa forma. E, a sucralose não deve ter o uso estendido por mais de 2 meses consecutivos, para evitar problemas de saúde.

Assim, se você não se encontra acima do peso e, quer somente ter uma vida mais saudável não consuma adoçantes artificiais. Use mel, açúcar mascavo, açúcar de coco, açúcar orgânico, etc. Seu corpo agradece.

 

Selecione bem seus alimentos

Selecione bem os alimentos que farão parte de sua dieta, existem muitas opções saudáveis no mercado. Preste atenção aos rótulos, pesquise mais sobre o assunto se for preciso. Mas, principalmente, não deixe que promessas milagrosas e embalagens bonitas tem enganem.

Existem muitos alimentos não saudáveis por aí, grande parte deles é industrializada. A regra de ouro é preferir sempre as versões naturais. Coma frutas, verduras e legumes… não adoce nem salgue demais.

Siga nossas dicas e você terá uma vida muito mais saudável, refletida em uma pele, cabelo e corpo bonito. Gostou desse artigo? Curta e compartilhe. Quer ler mais artigos sobre esse assunto? Comente aqui!

Comentários

comentários

Sobre o Autor

O Blog do Rosa Verão tem como objetivo ajudar suas clientes com dicas de roteiros, praias, dietas, viagens, oferecendo qualidade em informação. Os biquínis da marca também seguem um rigoroso controle de qualidade, afim de garantir as clientes conforto e beleza. Conheça mais sobre nossos produtos em www.rosaverao.com.br